oração da renúncia

são como meras espirais
nós nos curvamos em fuga
correndo por estas radiais
norte, sul, leste e oeste
e numa inércia centrifuga
voltamos para que recomece

não sou deus, mas nem o diabo
poderia querer este destino
quantas vezes já me acabo
e nunca passa esta tormenta
me deixa em paz, menino,
não há nada que te alimenta

ave Maria que me perdoe
mas toda noite rezo em vão
peço que a úlcera amaldiçoe
cada segundo do teu tempo
e que na ausência de coração
encontre caos por acalento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s