sem lençóis

Passou por mim e eu não vi. As horas cortaram o ar. Vodca e guaraná, do gosto da sua boca. Não teve pressa com seu beijo, não teve desespero com seus olhos. Era uma fome morna, de quem prefere degustar antes de engolir. Veio medir meus passos, indagar minhas ordens, destituir meu poder. E por último desmanchou os caminhos ermos de toda pele de todo corpo de todo insano de toda necessidade de toda alma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s