confinamento

entre os vagões perdidos
o asfalto ainda quente
que as estrelas abençoam
enquanto as luzes destoam
no silêncio inconsequente
do nossos próprios ruídos

entre os risos inconstantes
vem um susto e vem suspiro
que lá fora vinha alguém
enquanto me finjo de refém
como se viesse outro tiro
emudecido pelos passantes

pensei que aqui neste refúgio
pouco importa se nos ouvem
ou se nos vêem à pele nua
digo apenas que sou sua
e escuto apenas se convém
esconder dos contrafluxos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s