luminescência

Vou me despir dessa empatia
Ficar só pele no abismo do meu ser
Fechar os olhos pra me fustigar
Com os ruídos
Não tem paraíso nesse céu
Nem delícia nesse fel
Vem numa febre
Cai de sede
Vai ser horário de verão
Vou me despir da taquicardia
Ficar só brilho nas luzes do teto
Segurar a respiração pra me castigar
Com os ruídos
Não tem inferno nessa cama
Nem ardil nesse drama

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s