beijos tintos secos

sopro na caverna
sopro na caverna
beijos secos doces
batem na parede
batem na parede

voltam sonhos mudos
em silêncio e asma
roucos como os furos
em peitos desgraçados

sopro na caverna
sopro na caverna
sonhos tintos doces
feitos com embrulho
de presente
[e futuro

mas você não ouviu
e não leu versos meus
tão vazios
mas você não chorou
com a dor feita
de fel e amor

na caverna
fundo oco
obra de arte
natureza morta
somos esta casa
somos esta ponte
somos rio ao longe
somos mata escassa

sopro na caverna
sopro na caverna
beijos tintos secos
feitos de um batom vermelho
roubo um beijo que foi lento

te deixo o sonho
eu te deixo a mágoa
eu te deixo molhado
mas não deixo em paz
não deixo em paz

bate na parede
bate na parede
volta como um soco
[no estômago
[na parede do estômago

batem na parede
batem na parede
socos secos doces

beijam na parede
beijam na parede
sopros doces secos
sonhos tintos e
[bêbados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s