conjugação verbal

o amor é o tocar dos pés na água
brevemente
nem os pés secos nem os pés molhados
nem fora nem dentro d’água

o amor não é afundar-se
mas andar sobre as águas
flutuante e calmo

não é o reflexo na limpidez
nem a profundeza obscura
nem a liquidez sagaz
o que faz do amor esse fluido

o que faz do amor esse fluido
são os lábios que se beijam
e os corpos que se nadam
numa luta inescrupulosa pra sobreviver
sem afundar e sem afogar-se
e os olhos que se assistem
e as mãos que se procuram
e os pulsos que se sintonizam

mas o amor não é um mergulho
nem o salto diante da piscina
o amor é o devir n’água mansa
a dúvida de que seja possível andar
mas com a certeza de não afundar
nem os pés nem o corpo
nem a alma fundida

o amor é o presente
o ato primeiro que une
desespero e calmaria
urgência e espera
posse e desapego
humano e divino
antes e depois

andar sobre as águas
é o verbo sem domínio
eterna busca dos apaixonados
que estão sempre de mãos vazias
e corações cheios demais
conjugar em tempo real
o impronunciável verbal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s