ricocheteio

meu peito é um escudo
onde farpas não atingem
fogo fátuo acende miragem
trocentas rotações por minuto
circunscreve devagar
tatuagens em agulha sagaz
afinada em tom de cais
chovendo no mesmo lugar
girando mundos de poesia
fazendo coro em terça menor
rimas de quarteto ao redor
de todo ruído e cacofonia
meu orgasmo é reticente
minha órbita gravitacional
impulso sonoro atemporal
girando repetidamente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s