brisa de praia II

se eu fosse peixe, eu mergulhava. mas descobriram que sou ostra, então afundo e engulo os soluços que viram pérola.
minha poesia se chama pérola e o teu beijo se chama areia, que esquecida em meu cativeiro transformou-se em obra prima da natureza. seja areia que te escrevo pérola todo dia e te faço um colar, embora eu que seja a dama. depois me presenteia com essa coleção de versos ululantes que abraçam o mar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s