abduzidos na luz vermelha

que fosse um trago imediato
te roubar para corredores escuros
que anestesia a lentidão das luzes
escorre a lâmpada pelos cabelos
desemboca o rio na tua boca
com anseios acumulados inteiros
pra calar a demora de uma semana
e enquanto chama eu fico brasa
da cor das paredes acesas
queimando a pele de desejo
e a gente se negando por medo
de ser negado em vil desprezo
outra vez se comendo com os olhos
abastados e incômodos
o beijo nas pálpebras
o beijo nas escalpas
o beijo nas calçadas
o beijo que descalça
a cor do beijo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s