além do bojador

Na tentativa de matar a sede
do amor que um dia tive
bebi da tua boca – sagaz roubo
uma tempestade
afoguei porque de tanto desamor
desaprendi a nadar nas profundezas
dos beijos plenos

Descobri-me plena – uma alvorada
uma navegação que deixa o porto
e sobe a âncora
sem mapa vi-me desbravando
esses desconhecidos oceanos
que teu peito abre

Não contava era com as tormentas
e morri de amor em alto mar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s