Ode à Perséfone

um ciclo de seis
pra não deixar morrer
tudo o que fez nascer

do fruto
do cópulo
do sangue

a terra
doando aos ares
doendo às águas
devendo ao fogo

ó, deusa, não tires
que deste mundo só resta a romã
tão adépta à paixão humana
tão rosana e sã

ó, deusa, não profanes
que deste amor só resta a metade
tão devota e constante
tão amante por Hades

rogo-te, eterna filha
a mãe que tira o fio da vida
imploro-te que me revides
a escolha certa e uma saída

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s