Dadona no mundo dos unicórnios

Ensaio de carnaval da cantora Dadona, durante o 20º Psicodália, em Rio Negrinho-SC.

Letícia Helena

Um ensaio de improviso que captou a essência do estereótipo da mulher selvagem. Modelo: Letícia  Helena Grellmann

Kevin Balieiro

Sessão improvisada durante o 20º Psicodália, em Rio Negrinho-SC, com o ator Kevin Balieiro.

amargo quase beijo

Como se morresse
– de sede
virei-o ali inteiro

veneno

em minha boca
– amargo
mas antes que
pudesse festejar em goles
turvos

interrompeu-me suplicando
que lhe doasse um pouco
da minha morte

eu, confundida
sobretudo pelas luzes,
deixei-me ser roubada
minha boca então dormente
pela meia dose
e silenciada pela sua falta de

violência

não soube dizer
que sim
ou que não,
apenas não morri de frio

perdi os sentidos,
pisquei umas vezes, desacreditada
da sobrenaturalidade dos quase beijos,
que salvam até os olhos
trôpegos do precipício
e as papilas sobreviventes
do risco que foi
cair em sua boca.

Retratos de uma viagem

Dez horas dentro do ônibus são o suficiente para bagunçar o ócio criativo. Os feixes de luzes de leitura me bastaram para retratá-los enquanto íamos de Syrius B à fazenda ilhada da psicodelia.

Gratidão pelas parcerias!

afagamento

aos poucos a gente se apaga
no breu da noite anuviada
se apaga
enquanto a bituca se consome em cinzas
se apaga
nos corpos que se tocam misturados
se apaga
quando os olhos fecham
a gente se apaga
quando dorme sem sonhos
se apaga
nos goles largos das canecas etílicas
se apaga
na brasa pela manhã ruidosa
se apaga
a cada tiro pelas narinas
se apaga
quando afoga no choro descontrolado
a gente se apaga
no silêncio que os outros nos calam

aos poucos a gente se acaba
sobretudo no apagamento

sobre o carnaval passado

língua de fevereiro uma acerola
os pés na terra argila afunda
a pedra o musgo a água

ah o mergulho

tiramos a roupa viramos lama
feitos do barro que explode
pedaços de projetos humanos
nadaram pelados no lago

do amor

usamos galochas e biquinis
descalços e com a cabeça coberta
perigo era tomar sol e não um porre